NUTRICIONISTA: O VIGILANTE DA SAÚDE

Por: Laura Ramos Toledo (Nutricionista) CRN 3343

No dia 31 de agosto comemoramos o Dia do Nutricionista, data esta em que foi criada a Associação Brasileira de Nutricionistas em 1949, atualmente conhecida como Associação Brasileira de Nutrição.

Atualmente a qualidade de vida é tema central de estudos e discussões nos diversos níveis da sociedade, a alimentação figura como item essencial nessa busca.

O ritmo de vida e o aumento exponencial de doenças relacionadas, especialmente ao excesso de peso, traz a atuação do nutricionista como destaque para o alcance da saúde plena.

Com formação versátil e ampla, o nutricionista é o profissional habilitado a atuar em todo o processo de alimentação, desde a cadeia produtiva de alimentos na indústria, comércio e controle e segurança alimentar, especialmente na sua interação com o corpo humano, seja ele saudável ou enfermo.

Os campos de atuação do nutricionista são vastos atuando em todas as faixas etárias, tanto em ambientes de saúde como clínicas e hospitais como em outros diversos como escolas, creches e instituições para idosos, em academias e outros espaços destinados ao cuidado com a saúde, atuando na formação de outros nutricionistas na área da docência.

No ambiente hospitalar a atuação do nutricionista é essencial para o completo reestabelecimento dos indivíduos hospitalizados, se tornando um vigilante permanente do estado nutricional e estado geral de saúde.

O nutricionista é um profissional com fundamentação técnica no campo da nutrição, que tem competência na assistência dietoterápica hospitalar, prescrevendo, planejando, analisando, supervisionando e avaliando a melhor terapia nutricional para o paciente. Portanto, o nutricionista tem papel fundamental dentro da equipe, cabendo ao profissional realizar todas as operações inerentes à prescrição dietética

Ao ser hospitalizado, o paciente geralmente apresenta algum grau de desnutrição protéico-calórica, que normalmente se acentua no transcorrer da internação, em consequência de diferentes fatores.

As implicações da desnutrição sobre a evolução das doenças são relatadas como fatores coadjuvantes na morbidade e mortalidade.

O nutricionista é um profissional com fundamentação técnica no campo da nutrição, capaz de traduzir a ciência da nutrição para linguagem de fácil acesso ao público, orientando a respeito do comportamento alimentar dos indivíduos.

Está preparado para atuar em todos os níveis do sistema de saúde, estabelecendo políticas de alimentação e nutrição, priorizando sempre o aspecto social.  Nesse sentido, é importante mencionar que a atuação multidisciplinar da área da saúde possibilita um atendimento de grande abrangência a todos os indivíduos, principalmente no que tange a atuação em terapia nutricional.

Uma nutrição adequada, é primordial como parte integrada de todo o tratamento do paciente no ambiente hospitalar, e tem como objetivo recuperar o estado nutricional, prevenir complicações e minimizar o tempo de internação, assim como os custos em saúde. Desta forma, a intervenção nutricional, conduzida pelo nutricionista pode diminuir potencialmente as reinternações.

Para poder desempenhar adequadamente suas funções assistenciais, o nutricionista clínico deve desenvolver uma série de qualidades e condições tais como: sagacidade para interpretar todos os componentes pessoais de seus pacientes; flexibilidade mental para adequar-se e adaptar-se às diferentes circunstâncias da atuação profissional; poder de decisão para assumir a responsabilidade em determinar a conduta dietética; capacidade de trabalhar em equipe para compreender as diferentes nuances do trabalho em equipe e, principalmente, conviver com outras categorias profissionais, respeitando seus limites de atuação e sentido existencial e humano, não rígido, nem estrito e, tampouco esquemático, sendo sensível diante dos problemas humanos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. Miranda SBN, Oliveira MRM. Suporte nutricional precoce: avaliação de pacientes críticos internados em UTI. Saúde Rev. 2005;7(16):37-47.
  2. Montejo GJC, Culebras-Fernandez JM, Garcia de Lorenzo MA. Recommendations for the nutritional assessment of critically ill patients. Rev Med Chile. 2006;134(8):1049-56.
  3. Correia I, Waitzberg DL. The impact of malnutrition on morbidity, mortality, length of hospital stay and costs evaluated through a multivariate model analysis. Clin Nutr. 2003;22(3):235-9.
  4. Lamb AT,Vieira, JM,Schimidt KH. Perfil dos pacientes recebendo suporte nutricional. Rev Nutr Pauta. 2003;11(62):18-21.
  5. Morsoletto RHC, Borela CP, Henrique JM. Avaliação do conhecimento da equipe multidisciplinar sobre o papel do nutricionista na atuação em suporte nutricional. Rev Nutr Pauta. 2005;13(75):32-6.
  6. Lei 8.234, de 17/09/1991. Regulamenta a profissão de nutricionista e determina outras providências.

Laura Ramos Toledo (Nutricionista do Hospital São Mateus) CRN 3343

VEJA TAMBÉM